19/12/2018 às 11h14min - Atualizada em 19/12/2018 às 11h14min

Pressionado na Espanha, Real Madrid inicia busca pelo tri em reencontro com o Kashima

Campeão europeu mantêm base de dois anos atrás, mas perde referências e chega ao Mundial com aproveitamento inferior às últimas edições. Zico & Cia. não acreditam em rival enfraquecido

g1.com.br


O Real Madrid dá início à busca pelo tricampeonato mundial em sequência (o sétimo na história) nesta quarta-feira, em Abu Dhabi. O adversário não será exatamente uma novidade. O Kashima Antlers foi o rival daquela decisão há dois anos no Japão e quase complicou a vida dos campeões europeus, que precisaram passar pela prorrogação para levar a taça. Chance de revanche para alguns, pressão para outros. O time de Solari chega aos Emirados Árabes em um momento complicado e não pode nem pensar em dar chance para a zebra passear a partir de 14h30 (de Brasília) - SporTV e GloboEsporte.com começam a transmissão ao vivo uma hora antes, às 13h30 (de Brasília) .

- Tenho a mesma impressão do primeiro dia no juvenil e como jogador. Entregar o melhor que posso em todos os aspectos do meu trabalho todos os dias. Essa é a minha filosofia e a minha maneira de ver o futebol e este trabalho – disse o argentino Solari, que revela que quando garoto fugia da escola para assistir aos jogos de disputa do título mundial entre clubes:

    “Quando tinha meus 13 anos, fugia da escola para ver estes jogos, quando era o Intercontinental. Vi Milan x São Paulo. Agora o formato é mais democrático e mais complicado, não vou subestimar nenhum rival"

Daquele encontro, o Real perdeu Zidane, o técnico, e Cristiano Ronaldo, o craque. Ainda que sem suas referências, o time merengue conserva boa parte daquela equipe que venceu o time japonês por 4 a 2 em Yokohama. À exceção do português, todos os titulares do time merengue naquela final seguem no elenco – sendo que Navas começará no banco e Casemiro, ainda recuperando-se de lesão, não tem presença garantida entre os 11.

    SporTV e GloboEsporte.com transmitem o duelo ao vivo às 14h30 (de Brasília)

No lugar de Cristiano Ronaldo, há uma dúvida entre Asensio e Bale. Ambos treinaram separadamente na segunda, mas se reintegram ao grupo e, em tese, disputam uma vaga ao lado de Lucas Vázquez e Benzema no ataque.

    Real 2016: Navas, Carvajal, Sergio Ramos, Varane e Marcelo; Casemiro, Kroos e Modric; Lucas Vazquez, Benzema e Cristiano Ronaldo. Técnico: Zidane.
    Real 2018: Courtois, Carvajal, Sergio Ramos, Varane e Marcelo; Marcos Llorente (Casemiro), Kroos e Modric; Lucas Vazquez, Benzema e Bale (Asensio ou Isco). Técnico: Solari.

Veja a tabela do Mundial de Clubes

O meio tem as vagas cativas de Modric e Kroos - e a dúvida fica por conta de Casemiro. O volante não joga desde 11 de novembro por conta de uma entorse no tornozelo e vem dando lugar a Marcos Lollente. Na linha de trás, Navas dá lugar a Courtois, enquanto Carvajal, Sergio Ramos, Varane e Marcelo seguem firmes no posto de titulares.

- Somos uma família e há uma amizade muito grande fora do campo. Isso é perceptível quando estamos jogando. Mas acima de tudo demonstramos sempre uma grande vontade de conquistar títulos. Esta é uma competição com apenas dois jogos, mas queremos ganhar o troféu – disse Marcelo.

Al Ain surpreende mais uma vez, elimina o River Plate nos pênaltis e está na final do Mundial

Confira o desempenho do Real em relação aos dois últimos anos

    2016

Foram 54 jogos ao longo do ano, 40 vitórias, 12 empates e 2 derrotas - num aproveitamento de 81,4%

    2017

Foram 63 jogos oficiais, incluindo os dois do Mundial. Venceu 44, empatou 10 e perdeu 9 - num aproveitamento de 75%.

    2018

Fechará o ano com 60 jogos oficiais, incluindo os dois que ainda fará do Mundial. Somou 35 vitórias, 10 empates e 13 derrotas nas 58 vezes em que foi a campo até aqui - num aproveitamento de 66%.

Japonês faz sucesso ao abrir rico acervo do Mundial e revela torcida por Zico nos Emirados Árabes

Brasileiros do Kashima não creem em Real enfraquecido

Do outro lado, o time japonês vem modificado tanto dentro quanto fora de campo. Enquanto Zico assumiu o cargo de gerente em agosto passado, nomes importantes do elenco, como Serginho e Leandro, não estavam no grupo campeão japonês e finalista do Mundial em 2016. E nenhum deles acredita que encontrará vida fácil do outro lado.

- O Real é o Real, um time que tem ótimos jogadores. Você não pode errar contra eles como fizemos contra o Chivas no primeiro tempo porque, senão, eles te matam. É erro zero. Porque os que estão jogando, na época do Zidane, atuavam de forma diferente. Em termos de análise, o time joga de uma forma diferente e até se adaptar leva um tempo – avaliou Zico.



Autor de um gol na vitória sobre o Chivas (e outros cinco na campanha vitoriosa da Champions da Ásia), Serginho pregou respeito ao maior campeão da Europa.

- O Real Madrid é um dos melhores do mundo. Sabemos da força deles. No futebol tudo pode acontecer, Corinthians e São Paulo foram campeões, e temos chance. Sabemos que é difícil, mas temos esperança - disse o atacante, ex-Santos e América-MG.



Leandro, que está voltando ao time depois de uma longa lesão, segue na mesma linha.

- Se não for o maior clube do mundo, com certeza está entre os maiores. Não podemos encarar como uma revanche, mas sim como se fosse uma final diante de um clube dessa grandeza, com jogadores renomados. Sabemos das dificuldades, mas nos preparamos bem para poder fazer um grande jogo e buscar essa vaga.

O vencedor do duelo fará a final com o Al Ain, time da casa, sábado em Abu Dhabi. Quem perder, disputa o terceiro lugar com o River.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Se as eleições fossem hoje em qual Candidato você votaria para prefeito de Itapaci ???

21.6%
4.3%
5.4%
0.5%
46.5%
2.2%
8.6%
1.1%
1.6%
0.5%
2.7%
4.9%