COM RACHADURAS E RISCO DE DESABAR, PONTE SOBRE RIO DAS ALMAS SERÁ PARCIALMENTE INTERDITADA - Jornal Enquanto isso em Itapaci
  • HOME
  • NOTÍCIAS
  • CONTATO
  • O JORNAL
  • NOTÍCIAS
  • HUMOR
  • COLUNA SOCIAL
  • CLASSIFICADOS
  • ANUNCIE AQUI
  • CONTATO
  • COM RACHADURAS E RISCO DE DESABAR, PONTE SOBRE RIO DAS ALMAS SERÁ PARCIALMENTE INTERDITADA

    Publicado em 27/12/2017 às 16:49

    CLIQUE PARA AMPLIAR
    PUBLICIDADE

    A ponte de 190 metros entre Ceres e o município de Nova Glória, próximo ao distrito de Jardim Paulista está sob risco de desabar. De acordo com reportagem da TV Anhanguera o local deverá ser interditado pelo DNIT, em função de rachaduras que ameaçam toda a estrutura. Motoristas estão assustados com os tremores na ponte, moradores da região gravaram um vídeo denunciado a precariedade.

     

    A empresa terceirizada que presta serviço para o DNIT realizou um trabalho paliativo no local, mas insuficiente para afastar os perigos. A reportagem mostrou que a estrutura está desnivelada em um dos pontos onde apresenta a maior rachadura. Mais uma medida paliativa será tomada, com a colocação de quebra-molas dos lados da ponte e a interdição de um dos lados da pista.

     

    A ponte sobre o Rio das Almas foi construída na década de 60 e nunca passou por uma manutenção. Engenheiros do DNIT estiveram no local e responsabilizaram a antiga concessionária pelo problema, a Galvão Engenharia atuou por três na BR-153.

     

    “Essa ponte como tem um sistema de proteção com cabos que são atirantados deveria estar sendo monitorados frequentemente, para verificar a integridade e a condição estrutural. Esse relaxamento foi excessivo. Assumimos nessa condição de risco, o que pode até colocar em comprometimento estrutural essa obra de arte” reconheceu o engenheiro Lucas Alberto Júnior.

     

    Os engenheiros do DNIT dizem que a recuperação da ponte deverá começar em regime de emergência, com o início das obras em no máximo 30 dias. A Galvão Engenharia não se manifestou sobre a responsabilização pela falta de manutenção da ponte nos últimos anos.

    </

    COMPARTILHAR

    COMENTÁRIOS